Domingo, 29 de Maio de 2022
83 9 9690-1026
Polícia Caso de policia

Padrasto de Júlia diz que matou porque teve um surto, que família da menina nunca vai perdoá-lo e faz apelo a irmã: "não me abandone"

Ao ser conduzido para transferência ao Presídio do Roger, o padrasto de Júlia fez um apelo à irmã dele. "Minha irmã, não me abandone que eu sou seu único irmão."

13/04/2022 21h06 Atualizada há 1 mês
Por: Danilo Almeida Fonte: Click PB
Padrasto de Júlia diz que matou porque teve um surto, que família da menina nunca vai perdoá-lo e faz apelo a irmã:

O padrasto de Júlia, Francisco Lopes, falou à imprensa depois de passar por audiência de custódia, nesta quarta-feira (13), após ser preso ao confessar que matou a enteada no bairro de Gramame, em João Pessoa. Francisco disse que matou porque teve surto e que sabe que a família da criança, inclusive sua companheira, nunca vai perdoá-lo.

 

Ao ser conduzido à viatura para transferência ao Presídio do Roger, onde deve ficar em prisão preventiva, o padrasto de Júlia fez um apelo à irmã dele. "Minha irmã, não me abandone que eu sou seu único irmão."

 

Questionado se estava arrependido e se pediria perdão à família de Júlia, Francisco disse que "é o mínimo que eu devo fazer. Eu sei que a família dela nunca vai me perdoar."

Conforme noticiou o ClickPB, Júlia estava desaparecida desde quinta-feira (7). Depois de várias divulgações da família dela pedindo ajuda para encontrá-la, até com a vinda de parentes de Curitiba, incluindo o pai biológico dela, ontem o padrasto confessou que matou a menina e esteve envolvido no sumiço da criança, ao esconder o corpo em um 'cacimbão' perto da casa da família.

Padrasto confessa que cometeu abuso sexual contra Júlia antes de matá-la dentro de casa e ocultar corpo em João Pessoa

Francisco alegou temer que Júlia fizesse mal à mãe e ao bebê que Josélia espera dele. Hoje, ele confessou na audiência de custódia que cometeu abuso sexual contra a enteada.

Ele1 - Criar site de notícias