Domingo, 29 de Maio de 2022
83 9 9690-1026
Saúde Paraíba

Secretário de Saúde e equipe são afastados após dezenas de crianças serem vacinadas com imunizantes vencidos e doses de adulto, na Paraíba

O caso está sendo investigado pelo Ministério Público Federal.

17/01/2022 20h11 Atualizada há 4 meses
Por: Danilo Almeida Fonte: NOTICIA PARAÍBA
Secretário de Saúde e equipe são afastados após dezenas de crianças serem vacinadas com imunizantes vencidos e doses de adulto, na Paraíba

O secretário de Saúde da cidade de Lucena, Litoral Norte da Paraíba, foi afastado do cargo após dezenas de crianças terem recebido vacinas vencidas e doses três vezes maior do que a recomendada.

A aplicação das doses ocorreu há uma semana na Unidade Básica de Saúde da zona rural da cidade e as crianças foram vacinadas uma semana antes da chegada dos imunizantes pediátricos contra a Covid-19 na Paraíba. O caso veio à tona após a mãe de uma das crianças que recebeu o imunizante postar um vídeo nas redes sociais denunciando a vacinação irregular.

Após a repercussão negativa do erro vacinal, Antônio Paulo,  a técnica de enfermagem que aplicou as vacinas sem autorização, uma enfermeira e a coordenadora de imunização foram exonerados do cargo nesta segunda-feira (17).

Em visita à Paraíba para acompanhar o início da vacinação infantil no estado, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga esteve em Lucena nesta segunda-feira e em entrevista concedida à imprensa ele avaliou o caso como um erro grave e disse que a dose aplicada nas crianças é três vezes maior do que a permitida.

A vacina destinada ao público infantil é diferente da que é aplicadas em adultos, pois há uma diferença com relação a dosagem, onde as doses corretas correspondem a 1/3 do conteúdo líquido aplicado nos adultos e as embalagens são na cor laranja.

O ministro afirmou que será feito um rigoroso monitoramento em relação ao caso e que as crianças que receberam os imunizantes estão sendo acompanhadas para analisar possíveis efeitos adversos.

O caso está sendo acompanhado pela Secretaria Estadual de Saúde e o Ministério Público Federal também está investigando a aplicação indevida das doses.

Ele1 - Criar site de notícias