Quarta, 25 de Maio de 2022
83 9 9690-1026
Dólar comercial R$ 4,83 0.228%
Euro R$ 5,16 -0.289%
Peso Argentino R$ 0,04 +0.235%
Bitcoin R$ 153.364,53 +1.591%
Bovespa 110.301,47 pontos -0.25%
Economia Economia

3 em cada 4 reajustes salariais de fevereiro não repuseram inflação

Dados do Salariômetro mostram que menos de 20% das negociações garantiram ganho real aos trabalhadores

24/03/2021 02h30
Por: Danilo Almeida Fonte: R7
Mediana dos pisos salariais é 7% maior do que o mínimo - (Foto: Andre Melo Andrade/Immagini/Folhapress - 20.08.2020)
Mediana dos pisos salariais é 7% maior do que o mínimo - (Foto: Andre Melo Andrade/Immagini/Folhapress - 20.08.2020)

As negociações coletivas firmadas em fevereiro resultaram na perda real do salário para 74,7% das categorias, de acordo com Salariômetro, divulgado nesta quarta-feira (24), pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

Os dados mostram ainda que 17,1% das reposições salariais foram superiores ao INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) acumulado dos últimos 12 meses (5,5%). Os demais acordos (8,2%) apenas compensaram a inflação aos profissionais.

De acordo com o Salariômetro, o reajuste médio nominal recebido pelos trabalhadores em fevereiro foi de 4,8%, mesmo patamar registrado em janeiro.

Os números mostram ainda que a quantidade de negociações (1.492) volta ao nível pré-reforma trabalhista, que passou a valer em novembro de 2017. Também foi retomada a tendência de negociar para prazo superior a um ano.

Salário

Em termos salariais, as negociações coletivas resultaram em um piso mediano de R$ 1.179 aos trabalhadores, valor 7,2% superior ao salário mínimo de R$ 1.100.

O piso das remunerações apresentadas, no entanto, é maior entre as convenções coletivas (R$ 1.200). Já os acordos firmaram como base um salário de R$ 1.178 em fevereiro.

Ele1 - Criar site de notícias